quinta-feira, 17 de junho de 2010

PSICOLOGIA NA INSTRUMENTAÇÃO E ENFERMAGEM


Trabalhar com seres humanos requer bem mais do que habilidades e conhecimentos técnicos, de instrumentais ou fármacos. Requer também conhecimentos de vida! Requer conhecimentos de humanidade, sensibilidade e compaixão. Lidar com vidas seja em estado terminal ou em uma cirurgia estética, requer habilidades especiais no tratamento das pessoas. Trata-se do princípio de que todos querem o melhor para si, trata-se do princípio de trata-los como se trataria seu pai, mãe, filho ou como gostaria de ser tratado.
Pessoas, seres humanos, é isso que lidamos o tempo todo e em todos os estados, devemos sempre lembrar que bem mais do que a saúde física está abalada na pessoa quer vira paciente, por qualquer que seja o motivo da internação, há sempre a presença do medo e da insegurança, seja do desconhecido para aqueles que ignoram os riscos que correm ou mesmo do conhecido, para aqueles que sabem o que está por vir. Por este motivo que profissionais da enfermagem e instrumentação devem sempre agir com cautela nas palavras, compaixão e carinho no tratamento além da técnica. Um sorriso, um “chamar pelo nome”, um minuto a mais de atenção ao paciente, vale muito para quem está fragilizado e entregue aos seus atos.
Aos profissionais da instrumentação vale a pena passar segurança, se apresentar ao paciente antes do ínicio da cirurgia, dizer que está tudo bem, que logo vão se ver novamente ao final da cirurgia, passa ao paciente a segurança e traquilidade que ele precisa para se entregar ao ato cirúrgico com mais confiança na equipe que o atende.
Um sorriso, um minuto a mais para uma palavra de conforto não atrasa uma cirurgia e traz o benefício de um paciente sereno no ato cirúrgico, além disso sabemos que um paciente confiante e tranqüilo sem a resposta neuroendócrinometabólica ao trauma (ou stresse), vai ter a anestesia fazendo efeito mais rapidamente. Embora não seja isso que devemos pensar, fazer o bem àquele que necessita daquele carinho naquele momento, está é a idéia!
Por isso que a disciplina de psicologia se faz tão necessária nos cursos de enfermagem e instrumentação cirúrgica, para aflorar o lado humanitário no “cuidar de pessoas”, para se pôr no lugar daquele que necessita do cuidado e da boa vontade alheia. A pessoa que se torna profissional da área da saúde, tem que ter em mente que nunca poderá trabalhar mecanicamente na técnica...cada dia um dia, cada paciente um ser humano, que merece, precisa e quer ser bem tratado.
Ideal seria se andássemos sempre com um espelho ao lado, para sempre “vigiar” nossas ações e verificar se delas temos orgulho ou vergonha!

Por: Tábata O. de Muzio em 17/06/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário